Qual a graça de criar temas para WordPress?

Comecei a brincar com HTML desde a primeira vez que usei um computador. Foi no primeiro ano de faculdade que fiquei fascinado por aqueles códigos mágicos que se escondiam atrás da janela do navegador. Na época, o famigerado Netscape.

Sempre foi um dos meus passatempos preferidos criar sites e páginas pessoais, mesmo não tendo muito o que mostrar como conteúdo. Eu fazia o que todo mundo fazia, que era encher de frases e pensamentos famosos. Meio brega, mas atual como nunca.

Quando comecei a usar WordPress, logo procurei decifrar aquele código diferente e avançado chamado PHP, muito complicado a princípio mas que finalmente estou começando a entender.

Agora que finalmente alcancei algum domínio de HTML, CSS, PHP e alguma noção de Javascript, posso tentar criar formas mais bonitas de encher linguiça. 🙂

Nessas últimas semanas tenho estado bastante focado na criação de temas WordPress. Acabei deixando de lado a leitura massiva de artigos em que vivo imerso e até descuidei da newsletter Salada Mista. Foi bom dar uma arejada na cabeça ao descuidar desse hábito de querer acompanhar tudo.

Mas o certo é me organizar um pouco mais, limpar alguns feeds e seguir apenas o essencial, criar um hábito de horários regulares de absorção e criação. Abandonar tudo ou nada não é o melhor a ser feito.

Mas mesmo com meu comportamento caótico e pouco eficiente, consigo terminar uma ou outra atividade. Acabei de ter aprovados dois temas no diretório do WordPress. O Cooffee Time, que é esse que estou usando aqui, e o myBook, um tema simples com cara de livro.

Ainda falta muito pra eu conseguir desenvolver um tema avançado de verdade, ou mesmo bonito, mas esses dois foram bastante trabalhosos e duros de terminar. Uma pequena vitória e uma alegria poder compartilhar com os usuários do WordPress do mundo todo.

Sempre fiz as coisas por satisfação pessoal, pra quase ninguém ver. É bacana poder finalizar algo e oferecer pra outros usarem ou criarem em cima.

Não me vejo como alguém que tem bom senso de estética ou gosto, algo primordial para criar temas WordPress de qualidade, mas de repente para mim é mais fácil criar forma do que conteúdo. Talvez eu deva investir nisso.

Anúncios

O que tá escrito aqui?

Nada pior que um blogueiro e seus lamentos por falta de inspiração, mas vá lá, esse texto acabará sendo algo melhor que isso.

Parece que venho escrevendo cada vez menos. Eu estava revendo a lista dos meus melhores textos e isso ficou bem claro ao notar que o número de artigos listados é menor a cada ano. Me conforto com a esperança ou ilusão de que estou escrevendo menos mas melhor.

FORMA, FUNÇÃO E GORDURA

No ócio que a falta de vontade ou inspiração para escrever traz, acabo voltando meus olhos para a forma e fatalmente mexo no layout do blog. Sempre em busca do diagrama perfeito.

Quando comecei blogar, tinha ideias grandiosas, queria fazer um portal repleto de recursos e artigos maravilhosos, ganhar dinheiro. Tudo ilusão, pois eu já deveria estar acostumado com o fato de que sei fazer várias coisas, menos ganhar dinheiro. Então, aos poucos fui pondo os pés no chão e a aparência do blog seguiu a mesma onda.

Agora estou numa vibe minimalista, tentando dar foco ao conteúdo e sendo cuidadoso com a acessibilidade, legibilidade e responsividade do design web.

Estou testando este novo tema de WordPress que construí a partir do zero mas chupinhando algumas ideias do Medium, mistura de rede social e plataforma de publicação lançada pelos criadores do Twitter. Fiquei encantado quando vi aquela fonte grande, numa página limpa e simples, com um cabeçalho que mudava de lugar de acordo com a largura da janela do navegador. Destrinchei o código pra entender como aquela página funcionava e roubei um pedacinho do código pra mim, só um pedacinho. É o que os grandes fazem, não?

Após algum tempo encarando minha página inicial decidi por retirar sem dó tudo o que desviava a atenção do conteúdo em si e joguei pro pé da página o que acho importante que seja fácil de encontrar (como os botões de doação! — Dá um reau?).

Mas não parei por aí.

TIPOGRAFIA FOR DUMMIES

A minha letra nos cadernos de escola era terrível. Preenchi cadernos e mais cadernos de caligrafia e nada de me emendar, até que um professor moderninho falou que a letra é expressão da nossa personalidade e tentar endireitá-la pode ser um erro. Ora, se é assim, assim será. Hoje sou um jeca com letra de médico.

Quando escrevo a mão algo que é apenas para mim, a coisa fica bem feia. Tempos depois, nem eu sei o que escrevi. Se é algo que deve ser legível para outros, escrevo em letra de forma, coisa que boa parte das pessoas faz também, imagino.

Acho bacana a ideia de criar fontes personalizadas e a possibilidade de usar uma fonte com minha letra sempre esteve em minha mente. Tipografia é uma arte bastante fina e sutil que fica subentendida por trás do texto, afetando a leitura de modo bem subliminar. Acredito que um texto fica especialmente impactante quando escrito à mão, por mais feios que sejam os traços.

Redescobrindo meus traços

Esses dias venci a letargia que me é usual em se tratando de por ideias em prática e fui ler um pouco sobre como funcionam as fontes tipográficas para web. Antes de sair instalando programas free ou piratas voltados pra esse tipo de arte, entrei na loja da Apple pra saber se havia algum app pra isso, afinal com o iPad seria muito mais fácil digitalizar meus garranchos.

Sim, tem, e ele é bastante bom! Chama-se iFontMaker e pelo preço de 7 obamas me obrigou a realizar uma boa análise antes da compra. Não se equipara a um soft especializado em criar fontes, daqueles que custam centenas de dólares, mas chega bem perto e vale cada centavo, mesmo que você só vá usar uma vez ou outra. E tem versão para Windows 8, baratinha também.

Se você se interessou pela ideia de fazer suas próprias fontes tipográficas, comece lendo esse artigo.

Juntando tudo isso, tema novo, fonte personalizada, e o fato de não haver mais acesso aos meus textos fora do site porque retirei RSS/feed, espero criar uma experiência mais pessoal e próxima com quem me lê, mesmo com aqueles que chegam aqui via Google, apenas procurando ajuda pra consertar a porcaria do myPad.

E se você teve uma dificuldade tremenda pra ler esse texto porque a letra tá muito ruim, me avise, posso tentar refinar. 😀

[ATUALIZAÇÃO: não estou usando mais minha letra feia como fonte do blog, se você quiser ver como ela é, clique aqui.]

Blogando com o iPad

Estou testando o iPad como instrumento principal para blogar.

Escrevi esse post usando o Blogsy. Aqui temos uma foto tirada com celular e enviada para o Dropbox. Em seguida, baixada para o iPad, editada com o Photoshop Express e enviada para o servidor do blog usando o FTP On The Go. Por que não enviei a foto do celular para o iPad por bluetooth? Não sei se o iPad aceitaria… Talvez sim, já que fiz o jailbreak… Enfim, Agora já foi… :/

Foto teste

A parte trabalhosa foi enviar a foto para o servidor do site. Sou fresco e gosto que todas as imagens que uso estejam na pasta wp-content/uploads na respectiva pasta do ano e mês. O Blogsy até enviaria fotos diretamente para lá, mas pra isso as pastas precisariam estar com permissão 777, o que torna o servidor vulnerável. Inclusive o Windows Live Writer também não consegue fazer upload de fotos sem essa permissão. Então, de qualquer forma, sempre faço no manual.

Mas é muito mais fácil usar a inserção automática que o Blogsy oferece de fotos que estejam nos serviços Flickr e Picasa, ou mesmo enviar uma foto para um desse serviços ao mesmo tempo em que elas são inseridas no post.

Também é possível inserir fotos encontradas no Google Imagens.

E por último um vídeo gravado com o iPad e enviado direto para o Youtube. Lá no quintal 😀 

Tema novo

Como você deve ter percebido, troquei o tema WordPress do blog. Não está totalmente redondo mas no geral é isso que você está vendo.

Faz tempo que eu queria usar um tema exclusivo, mesmo estando satisfeito com o excelente Magazine basic. Um tempão atrás eu tentei criar um tema a partir do zero mas não deu certo porque eu não entendia como a linguagem php funciona. Agora, com quase dois anos de blog, eu meio que aprendi php por osmose e finalmente consegui montar um tema funcional.

Estive trabalhando nesse novo tema durante essa semana. Foi assim: eu estava no Twitter esses dias e comecei a reparar na barra superior, daí tive um insight e pensei “pô, assim que tem que ser, simplicidade e espaço pro conteúdo, o conteúdo em primeiro lugar!”. E então comecei a trabalhar nisso, junto com outras coisas que eu queria melhorar.

Coisas que me nortearam:

  1. buscar um significado mais atual para o nome do blog, desvincular um pouco da finada banda supercaras,
  2. por o conteúdo em primeiro plano,
  3. simplificar e dar leveza em todos os aspectos,
  4. adequar espaços para propaganda,
  5. aproveitar melhor a tela.

Não sou nenhum gênio mas domino html e css. Isso não é suficiente porque é preciso um bom senso estético, ter bom gosto. Penso que não tenho mas até que consegui me virar, sim ou não?

Se você tiver um blog e quiser usar um tema simples como esse, fique a vontade em usar o meu como modelo. Faça o download aqui.

Só ressalto que ele foi feito para as minhas necessidades e não possui widgets, menus e nenhum outro recurso automatizado, e está cheio de códigos exclusivos. Mas se você manja de php, html e css, será fácil adaptar já que todo o código é muito enxuto e minimalista. Se sua versão ficar muito parecida, é favor usar um link no rodapé avisando que é um tema adaptado do blog supercaras etc… 🙂

Lista de plugins de WordPress usados no supercaras.com

Usar plug-ins é uma maneira simples e rápida de acrescentar recursos ao seu blog.

estock_commonswiki_255312_l Porém é preciso ter em mente algumas coisas antes de sair instalando qualquer coisa no seu querido blog. É preciso saber diferenciar o que é necessário e útil ou apenas engraçadinho e da moda, inclusive verificar se o dito plugin é seguro e bem escrito.

No pouco tempo em que estou a frente deste blog, li bastante coisa e testei algumas dicas de blogueiros veteranos. Acredito que cheguei a um bom equilibro do que é necessário aqui.

O que você deve ou não usar no seu blog é relativo, depende do que é importante para você, o tipo de material que você publica, etc., mas algumas coisas são universais e obrigatórias segundo o bom senso.

Então, no melhor estilo “blog open source”, publico aqui a lista dos plug-ins que estamos atualmente usando com sucesso no blog supercaras. Talvez ajude quem está começando ou anda perdido.

Lembre-se que antes de instalar e testar qualquer plugin no WordPress, é conveniente estar com os backups em dia, já que uma vírgula errada no código PHP é suficiente para causar uma pequena catástrofe (eu adoro PHP, e você?).

1 – AddThis Social Bookmarking Widget

Adiciona botões no fim do post para dar ao leitor opções de promover e favoritar os posts. É Importante oferecer maneiras do leitor lembrar do seu blog e se conectar a ele facilmente.

2 – Contact Form 7

Formulário de contato para facilitar a troca de ofensas entre o blogueiro e os trolls. É um formulário muito simples de usar e personalizar.

3 – Delete-Revision

Costumo editar e reeditar várias vezes os posts. No WordPress cada revisão é salva, permitindo que você recupere alguma alteração anterior, em contra partida isso gera muito lixo. Esse plugin faz uma limpeza, apagando as revisões antigas.

4 – FD Feedburner Plugin

Plugin que redireciona todas as assinaturas de feed/rss para o FeedBurner, garantindo que os leitores nunca se percam.

5 – NoFollow Free

Sou da opinião de que nofollow é filhadaputice, então uso esse plugin que garante que os links de comentaristas não contenham esse atributo. Parece que o nofollow perdeu significado depois que o Google fez alterações no sistema de indexação mas, de qualquer forma, tá aí o plugin pra garantir.

6 – Optimize DB

Plugin específico para otimizar a base de dados SQL, que é o coração do blog. Com um clique ele reestrutura a base de dados e diminui o tamanho do arquivo.

7 – Popularity Contest

Esse plugin oferece muitos relatórios mostrando o que é mais popular no blog. Uso para criar a lista de posts populares.

“This will enable ranking of your posts by popularity; using the behavior of your visitors to determine each post’s popularity. You set a value (or use the default value) for every post view, comment, etc. and the popularity of your posts is calculated based on those values. Once you have activated the plugin, you can configure the Popularity Values and View Reports. You can also use the included Widgets and Template Tags to display post popularity and lists of popular posts on your blog.”

8 – TweetMeme Retweet Button

Plugin específico para criar aquele botão no começo de cada post, onde aparece o número de vezes em que o link foi tuitado, com a opção de retuitar.

9 – WordPress Database Backup

Cria um backup da base da dados SQL, oferecendo a opção de agendar backups automáticos e enviá-los diretamente para seu e-mail.

10 – WordPress Mobile Edition

Esse plugin é bem legal, oferece um tema especialmente voltado pra quem acessa o blog por dispositivos móveis. Acesse o blog através desse emulador do Opera para iPhone e você verá como isso funciona.

11 – Yet Another Related Posts Plugin

Plugin simples e eficiente para criar listas de posts relacionados no rodapé de cada post.

ATUALIZAÇÃO: O tempo passou, algumas ideias mudaram. Abaixo a lista de plugins que uso atualmente: