Ressuscitando o myPad STI

Ok, você ferrou seu tablete, né? Faz parte, vivendo e aprendendo.

Também brickei o meu esses dias mas consegui consertar. Pule para Como restaurar o myPad STI se não quiser ouvir o rap da minha triste história.

Eu estava satisfeito com o Corvus5, mas ele começou a dar umas travadinhas, às vezes ficava um pouco lento… Não deu outra, fui cutucar o bicho de novo. Caí na besteira de querer instalar o último Cyanogenmod, justamente daqueles automáticos. Depois da instalação, o trem ficou num loop sem fim mostrando o logotipo e não ia nem pra frente e nem pra trás.

Já ficando nervoso, tentei entrar no modo flash e instalar o ViewComb 7.2, que atualmente é a única ROM Honeycomb que continua sendo atualizada e, parece, funciona bem. Consegui, depois de algumas poucas tentativas, entrar no modo flash pela segunda vez na vida e iniciei a instalação. Já estava relaxando o ânus quando apareceu um aviso na tela do prompt: “uid read failed”. E tudo parou e assim ficou, para meu desalento. A tela não acendia mais, o modo flash não entrava de jeito nenhum.

Depois de algumas boas horas e dezenas de tentativas infrutíferas, eu já tinha desistido quando meu irmão conseguiu entrar em flash mode usando o computador dele. A partir disso, acredito que descobri o caminho certo e sem erro. Vou ensinar o método sem dúvidas de como trazer o myPad de volta a vida.

Como restaurar o myPad STI

Você vai precisar de:

  • Tablet myPad STI brickado
  • Cabo USB A/A
  • Computador com Windows (XP ou Win7, Vista não sei se funciona)
  • Conexão a Internet

Download do driver APX e do firmware original

Vá até o site de suporte da Semp Toshiba: http://dat.semptoshiba.com.br/drivers/downloads/. Escreva qualquer coisa na caixa de pesquisa e clique em “Buscar”. Aparecerá um aviso dizendo “não existem drivers…”, logo abaixo estará um menu para escolha de sistema operacional. Escolha “ANDROID 2.2” e clique em buscar. Haverá uma série de arquivos referentes ao myPad [ ATENÇÃO: esse guia se refere apenas ao modelo MP-1003G ]. Aconselho que você baixe todos e salve, mas o que você usará para restaurar o tablet é o “ATUALIZAÇÃO MYPAD”, um arquivo executável de aproximadamente 86MB.

Baixe esse arquivo e o execute, ele criará uma pasta com duas outras dentro. Lembre-se do caminho e vá em frente.

Abra esse tutorial do suporte da Semp Toshiba para se familiarizar com as telas que você verá: http://dc595.4shared.com/doc/XleaF3iO/preview.html Aliás, esse método está todo descrito lá, só que sem o charme do meu texto. 😛

Convém desligar instalação automática de drivers via web: no Win7, clique com o botão direito do mouse em Meu computador, depois em Propriedades, vá em Proteção do Sistema, na aba Hardware, clique em Configurações de instalação do dispositivo e marque a opção “Deixe-me escolher o que fazer”.

Agora começa a diversão. Se você nunca conectou ou instalou nada referente ao myPad no seu computador, pule para a parte Dança dos botões.

Limpeza

Mas se você, assim como eu, fuçou até não poder mais, instalou e desinstalou vários drivers da nVidia e tentou entrar no modo flash várias vezes, precisará limpar os drivers para que o computador não encontre nenhum quando reconhecer o modo flash do myPad.

Como fazer isso? Existem vários modos, mas aconselho que você use uma ferramenta chamada Vega Tools, que você encontra aqui. É um software feito para o Advent Vega (uma das encarnações similares ao myPad) que oferece vários recursos, dentre eles o de localizar e apagar qualquer driver relacionado ao processador nVidia Tegra. É muito importante que essa limpeza seja feita corretamente. O Windows não pode instalar nada automaticamente quando você entrar em modo flash no myPad.

Dança dos botões

Esse é, provavelmente o pior método de recovery jamais inventado por um fabricante. Dá vontade de esganar o engenheiro que imaginou que essa seria uma boa solução. O método abaixo, às vezes funciona. Simples assim, às vezes.

Com o tablet carregado (não precisa estar conectado no carregador, basta estar com pelo menos uns 60% de carga), conecte-o ao computador usando o cabo USB A/A e execute os passos abaixo:

  1. Desligue o tablet segurando o botão home pressionado por no mínimo 6 segundos (alguns dizem pra segurar durante 20 segundos para ter certeza – se ele estiver numa situação de tela preta, sem acender, para saber se está ligado ou não observe se há uma tênue luz azul abaixo da camera).
  2. Aperte o botão back, aguarde dois segundos e, sem soltá-lo, aperte home. Aguarde mais dois segundos, solte home, mais dois segundos e solte back. Fica assim: aperta, espera, aperta, espera, solta, espera, solta.
  3. Aguarde uns 10 segundos observando qualquer atividade no Gerenciador de Dispositivos e a barra do Windows. Se surgir um periférico não reconhecido chamado APX, deu certo! Importante: se a tela acender ou piscar durante a dança, quer dizer que não deu certo, volte e recomece. Nada deve acontecer no tablet, apenas no Gerenciador de dispositivos.

Se nada aconteceu, repita os procedimentos ad nauseum. É difícil, mas nós acreditamos que você consegue. 😀 Só o penitente passará!

Instalando os drivers corretos

Quando finalmente você conseguir entrar em modo flash, inicie o processo de instalação do driver. No Gerenciador de Dispositivos, clique com o botão direito do mouse em APX e clique em Atualizar drivers. Localize aquela pasta que você descompactou lá no começo, entre na Driver USB e clique em Avançar. Se o Windows disser que não pôde verificar o editor do software, clique em Instalar mesmo assim. Depois de alguns suados segundos, a instalação terminará e o tablet estará em modo flash o/.

Agora, usando o Windows Explorer, vá até a outra pasta, chamada Android Froyo STI e execute o arquivo Assistencia.bat. Uma janela do prompt de comando abrir-se-á e a recuperação dos dados da memória flash e a instalação do firmware começarão. Aguarde. O tablet acenderá, o logotipo do robozinho verde surgirá e depois o tablet será desligado. Ligue o tablet e enjoy seu sucesso.

Conclusão e observações

Se as coisas não acontecerem exatamente como descrito acima, refaça todos os passos até dar certo ou a paciência acabar, o que vier primeiro.

Se você for um pouco mais esperto no negócio, poderá fazer isso usando drivers e ROMs de outros Androids (VegaComb, ViewComb, Corvus5, Cyanogenmod).

Caso você resolva ficar com o sistema original da Semp Toshiba, recomendo a instalação do Google Market, que você encontra aqui. Salve esse arquivo no cartão do tablet, vá em Configurações, Software tool, Software update, e clique em market_update0.zip. Aguarde e pronto, você terá o Market pronto para ser sincronizado com sua conta do Google. A propósito, é por esse caminho também que você poderá instalar outra ROM… [UPDATE: eu não tenho certeza, mas acredito que para fazer com que o Market funcione perfeitamente, é necessário antes rootear o tablet. Instale o z4root e o superuser e configure-os, nessa ordem, antes de instalar e configurar a conta do Google pelo Market. Se não sabe como fazer essas coisas, nem sei o que você está fazendo lendo isso. Nem me pergunte!]

Como esse é um processo cansativo, é recomendável pedir a ajuda de um amigo. Algumas cervejas também podem facilitar a operação. 😉

Em caso de desespero de causa ou total falta de paciência, leve o tablet para a assistência técnica autorizada da Semp Toshiba.

Boa sorte!

================

ATUALIZAÇÃO: aparentemente a Semptoshiba retirou ou escondeu os arquivos de firmware e suporte do myPad. Como sou um cara muito legal, coloquei o material que tenho no Rapidshare pra quem precisar. http://rapidshare.com/share/7A6CD0D080D943FAEFB72C647CCD8989

ATUALIZAÇÃO 2:

Na verdade os arquivos continuam no site da Semp Toshiba, apenas mudou o endereço, já corrigi no post. Antes de perguntar algo nos comentários, leia os publicados, eles podem conter a resposta da sua pergunta. E não adianta mandar email para mim, não respondo!

ATUALIZAÇÃO 3: De novo a Semp Toshiba mudou o endereço dos arquivos de suporte. Corrigi no texto e é esse http://dat.semptoshiba.com.br/drivers/downloads/

Outra coisa: não vou mais responder perguntas sobre esse tablet, tudo que você precisa saber sobre como restaurá-lo está nos textos que escrevi e nos comentários mais antigos.

ATUALIZAÇÃO 4: TUDO QUE EU JUNTEI DE ARQUIVOS DO MYPAD: https://mega.nz/#F!dZJmGb7C!ry7VbWFI1GF-uG7uuMOOJw

Como apagar os logotipos da tela do myPad STI

Você já reparou que tanto o iPad quanto seus clones tem a tela totalmente livre de detalhes, no máximo com a presença de um botão?

Pois é. Isso por que não há razão de ter nada mais, nada que tire a atenção do que realmente importa, que é o que está sendo exibido na tela.

Infelizmente a Semp Toshiba não se importou com isso e meteu logo três logotipos nas bordas da tela do myPad, pra mostrar quem é que manda.

Eu impliquei com isso logo de cara. Numa inevitável esfregada de unha, descobri que a tinta saia fácil. E não deu outra: com uma flanela embebida em álcool apaguei tudo sem pensar duas vezes.

Faça também. Bem melhor que ficar tendo que ver o logotipo horrível da STI todo o tempo. Apenas tome cuidado pra não riscar a tela.

Instalando o Corvus5 no myPad

Olá, amigo! Mais um post sobre o tablet myPad. Nem leia se você não se interessa sobre esse assunto.

Você que acompanha meu blog deve saber que tenho um tablet da Semp Toshiba (STI), o myPad. Primeiro fiz um review dele e depois mostrei como instalar o HoneyComb e o CyanogenMod.

O sistema nativo que a Semp Toshiba instalou nesse tablet é extremamente feio e tosco, além de pecar seriamente na ausência do Android Market.

Por isso tudo, é fatal que um usuário mais antenado se interesse em experimentar outras ROMs compatíveis com o tablet. Acredite, não fazer isso é como se contentar em dirigir uma Ferrari usando apenas a primeira marcha.

O myPad é apenas um dos muitos tipos de tablets OEM, uma cópia do p10an01, de uma empresa chamada Shuttle (informações técnicas aqui e aqui e uma lista de outras encarnações aqui). Por ter características fortes foi bem recebido e adotado por muitos entusiastas do sistema operacional Android, ganhando várias ROMs customizadas.

Para instalar outra ROM no seu tablet não há segredo, basta alguma noção de informática. As mais comuns são a VegaComb e o famoso CyanogenMod.

O VegaComb é uma adaptação do HoneyComb 3.0 e é lindo, porém lento e com muitos bugs (pelo menos até a versão beta 1.6). Programas para HoneyComb são poucos mas aproveitam bem a tela do tablet, principalmente games, que rodam macio graças ao processador NVidia Tegra 2.

Mas a lentidão detona a experiência no uso diário, principalmente se você for do tipo que pula de um app para outro o tempo todo. Mas o pior nem é isso, são os muitos bugs, alguns bem graves. Não consegui instalar a versão mais atual do VegaComb, mas os relatos que li dão conta de que ainda é um sistema lento.

Já o CyanogenMod tem um desempenho um pouco melhor, porém também tem um ou outro bugzinho e uma resposta um pouco imprecisa dos toque na tela. Também achei ele um pouco feio. Esperamos novidades com a chegada de uma possível versão baseada no Ice Cream Sandwich, quem sabe?

Enfim, depois de uma análise acurada e uma longa meditação enquanto corria com os antílopes nas savanas da costa africana, conclui e posso dizer com 100% de acerto que hoje o melhor Android para o myPad é o Corvus5. Mas, hein?

O Corvus5 é uma ROM simples e honesta baseada no Froyo 2.2. Instalei sem muita fé e torcendo o nariz, mas acabou valendo muito a pena. Estou satisfeito. Ele é muito rápido, nele tudo funciona e bem.

mypad

COMO INSTALAR O CORVUS5 NO MYPAD

Esses são os passos pra você instalar o Corvus5 a partir de um myPad virgem:

  1. Antes de mais nada, faça um backup de seus arquivos importantes.
  2. Vá em Configurações > Aplicativos e marque “Fontes desconhecidas”.
  3. Desligue o tablet (ou apenas desmonte o cartão micro SD), retire o cartão do tablet.
  4. Usando um computador, coloque na raiz do cartão os arquivos .APK mais recentes dos programas z4root e Superusuer e os arquivos .ZIP das versões mais recentes do ClockWorkMod e do Corvus5 (procure todos eles no Google ou nos links no fim do post).
  5. Instale o z4root e habilite o acesso root.
  6. Instale o Superuser.
  7. Instale o ClockWorkModda seguinte maneira:
    • Com o tablet ligado no carregador, vá em Configurações > Software tool > Software Update. O arquivo zipado estará disponível para seleção. Clique nele, confirme e aguarde.
    • Quando o tablet for religado, terá o ClockWorkMod instalado. Daqui em diante, a partir dele, você poderá instalar ROMs facilmente e sem perigo.
  8. Instale finalmente o Corvus5da seguinte forma:
    1. Reinicie o tablet em Modo Recovery (não me lembro exatamente o comando certo, abra o app do ClockWorkMod e descubra).
    2. Usando os botões de Volume para pular entre as opções, o botão Voltar para voltar e o botão Homepara selecionar uma opção, faça o seguinte:
      1. Limpeza de cache e restauração (Wipe Cache Partition / Wipe Data Factory Reset).
      2. Localize, selecione e instale o arquivo zip do Corvus5 que está no cartão (Install Zip From SDCard > Choose Zip From SDCard).
    3. Depois de feita a instalação, que leva poucos minutos e é exibida na tela, faça um reboot.
  9. Ufa! Pronto!

NOTA 1: Não sou responsável por problemas na execução dessas modificações e não garanto que elas funcionem. E lembre-se que a garantia se perde ao alterar qualquer coisa no tablet.

NOTA 2: A princípio, esse é o método completo, mas ressalvo que não foi por esse método que comecei a brincar de trocar a ROM do meu tablet. Eu usei o modo descrito para instalação do Vegacomb que eu listei aqui, que é muito mais simples. Na dúvida, vá por esse caminho. Acredito que você pode simplesmente seguir aqueles passos trocando o arquivo ZIP do Vegacomb pelo do Corvus5.

Instruções originais e completas em inglês:

Instalando o CyanogenMod no myPad

Achei maravilhoso o Honeycomb rodando no meu STI myPad mas infelizmente ele se mostrou muito lento para o meu padrão de uso, além de ainda ter um ou outro bug irritante. Hoje perdi a paciência e estou testando outro caminho.

Bem, isso é a respeito da versão beta 1.6 do Vegacomb. Talvez na versão estável mais recente o tablet tenha melhor desempenho. Como sou um jumento em se tratando de Android, não consegui entender e executar o método de instalação das versões posteriores ao 1.6.

Mas veja, estamos falando de um tablet incrível de 1GHz dual core mas que tem apenas 512MB de RAM. Se você conseguiu instalar a versão atual do Vegacomb e o bicho está voando, manifeste-se. De outro modo, concorde comigo que é difícil o Honeycomb rodar macio nesse tablet.

Então, me restou recorrer ao CyanogenMod, que também tem uma versão exclusiva para o Advent Vega, que no Brasil é o myPad da Semp Toshiba.

O CyanogenMod é muito famoso e muito bem sucedido. Espero que rode bem no meu tablet.

CyanogenMod7

COMO INSTALAR DO NADA OU “SOU VIRGEM”

A receita pra quem está com o myPad virgem (aquele que vem com Froyo 2.2 e com o tema mais horrendo que se tem notícia desse lado do mundo) pode ser encontrada aqui. É um caminho um pouco mais longo mas é fácil. Tenha apenas o cuidado de baixar a versão mais recente do Cyanogenmod para Advent Vega aqui nesse link.

Também existe grande chance de dar certo o mesmo método que eu usei para instalar o Vegacomb 1.3. Leia tudo aqui.

Esteja ciente de que você perde a garantia ao mudar o sistema operacional do seu tablet. E se algo der errado, eu não te conheço.

COMO INSTALAR A PARTIR DO VEGACOMB 1.3 A 1.6

A receita pra quem está insatisfeito com o Vegacomb do 1.3 ao 1.6 e gostaria de experimentar o Cyanogen é essa:

1 – Faça backup do que for importante e que esteja na memória interna.

2 – Baixe a versão mais recente do Cyanogen para Advent Vega aqui nesse link.

3 – Jogue o arquivo zipado que você baixou no cartão de memória.

4 – Reinicie o tablet em modo Recovery (se você não tem ideia de como fazer isso eu pergunto por que você está aqui? Hein?! Sai do meu trem!).

5 – Usando os botões de volume para pular entre as opções, o botão voltar para voltar (dã!), e o botão home para selecionar uma opção, faça o seguinte:

  • faça limpeza de cache e restaure as configurações de fábrica (wipe cache partition / wipe data factory reset).
  • Localize, selecione e instale o arquivo zip da ROM que você jogou, sem descompactar, no cartão micro SD (install zip from sdcard –> choose zip from sdcard)
  • Depois de feita toda a instalação, que leva poucos minutos e é mostrada na tela, dê um reboot.

6 – Pronto! Sirva fresco porque o CyanogenMod é Gingerbread Alegre

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

  • Com o Cyanogen a câmera funciona.
  • Voltou a parecer um celular gigante, como quando tinha o Froyo :/
  • Parece estar mais rápido! Smiley de boca aberta
  • Estranhamente não vem com o Google Market. I fix it: faça download desse arquivo aqui e jogue no cartão, sem descompactar. Reinicie em recovery abrindo o app “Rom Manager” e clicando em “Reiniciar recuperação” (esse app foi instalado junto com o Cyanogen e é o novo caminho para entrar no recovery mode), vá à opção “install zip from sdcard” e “choose zip from sdcard”, encontre o arquivo no cartão e instale-o. Qualquer dúvida, leia esse post aqui.

É isso aí, enjoy.

[UPDATE: melhor pegar os arquivos do Google Market que estão no fim desse post aqui.]

Instalando o Honeycomb no myPad

Aqui estou eu de novo, arrepiado por ter arriscado brickar outro tablet mas ter obtido sucesso em fazer um update de responsa!

Se você tem um tablet Semp Toshiba myPad e não está contente com o android Froyo antigão que vem nele (e tem coragem de sobra), siga esses passos para instalar o Honeycomb especialmente adaptado para esse aparelho. Lembrando que a garantia vai pro espaço e se pifar o problema é unicamente seu, quem pariu Mateus que o embale!

Só sei que eu arrisquei e deu certo. Se você tem um desses, provavelmente dará certo também. Não me pergunte nada, só o homem penitente passará!

A receita mágica é a seguinte:

  • Procure e faça download desse arquivo na Internet: VegaComb-BETA1.3_Huawei_3G.zip (aqui)
  • Desligue o tablet e retire o cartão micro SD.
  • Jogue esse arquivo zipado na raiz do cartão micro SD e coloque o cartão no tablet.
  • Com o tablet ligado, no carregador e bateria totalmente carregada, vá em Configurações -> Software tool –> Software Update.
  • O arquivo zipado estará disponível. Clique nele, confirme e espere.
  • Depois de alguns minutos, o logo do VegaComb vai surgir e depois de mais alguns minutos vai apagar.
  • Pronto!
OBSERVAÇÕES
Talvez seja o caso de tentar usar uma versão mais recente do Vegacomb, eu acabei usando essa de maluco mesmo. Nessa versão vez ou outra dá uma congelada e a webcam não funciona.
Não sei como reverter para o Froyo e nem como instalar outra versão do Honeycomb. Também não tenho ideia do por quê o tablet não entrar em modo recovery usando o comando back+power, como é comum nas outras marcas.
Valeu a pena porque o Honeycomb é outro mundo. Além disso, depois consegui instalar o Google Market. Não me pergunte como se faz isso, pesquise!
[UPDATE – No fim desse post >> aqui << você encontra um modo simples de pular da versão 1.3 para a 1.4, que é muito mais estável. Ou você pode tentar os passos que eu dei com a versão 1.6, MAS NÃO AS POSTERIORES, POIS O PROCEDIMENTO É DIFERENTE]
NÃO ME RESPONSABILIZO POR PERDA DE GARANTIA OU QUEBRA DO SEU TABLET!
iChuchu
chuchu-tab

Tablet Semp Toshiba STI myPad MP1003G – um review

IMG080

Meu Kyros esteve em coma. No curto espaço de tempo entre aguardar o suporte do fabricante e trazê-lo de volta a vida, frustrado, temendo o pior e sabendo que sou um jumento, fiz o que qualquer adulto consciente e responsável faria: comprei outro tablet. Rá!

Tive que convencer meu irmão de que tablets são o futuro e vendi o Kyros para ele em suaves prestações à perder de vista. Smiley de boca aberta

E aqui está mais um review.

STI myPad – O meu, o seu, o nosso

O myPad, nome que é claramente inspirado no do concorrente você-sabe-qual, é segundo a Semp Toshiba um nome registrado e de propriedade dela, mas isso não altera o fato de que é usado à la vonté por fabricantes xing-lings e por causa disso não inspira confiança. Mas é um nome bacaninha.

IMG092 IMG093 IMG094

Da mesma forma que aconteceu com o Positivo Alfa, o myPad foi proclamado como produto brasileiro, obra de arte da tecnologia tupiniquim. Não é, é mais um OEM, mas um bom OEM, como o Alfa. Não tenho certeza, mas parece que ele é apenas montado no Brasil, mais especificamente, na Bahia.

O QUE QUE O BAIANO TEM?

Incrível a economia feita pela Semp Toshiba nos itens que acompanham o tablet. Nem mesmo fones de ouvido ordinários vieram com o produto. Mas isso é compensado pelas boas características do tablet. Muitas são semelhantes ao Kyros 1024.

Coisas boas:

  • Processador nVidia Tegra 250 (1GHz, dual core).
  • 512 MB de memória RAM.
  • Tela capacitiva multitoque de 10.1″.
  • Entrada USB, saída HDMI, Bluetooth, Wi-Fi (e 3G opcional).
  • Cartão Micro-SD de 16GB incluso (ou 32GB).

Coisas não boas:

  • Vem com Android 2.2 Froyo (muitos programas mas poucos que se adaptam bem a tela grande).
  • Não vem com o Google Market (a desculpa é que o Google não deixou).
  • Pesadíssimo: 750g (150g a mais que o iPad2, 70g a mais que o iPad1 e Kyros 1024).
  • Caro: (em setembro de 2011) o dobro do preço de um Kyros 1024.

Veja aqui um comparativo do Advent Vega, que é uma das encarnações desse aparelho, com outros tabletes famosos. O manual em pdf do myPad Semp Toshiba está aqui.

Vou comparar bastante com o Kyros, então pode ser interessante que você leia o review dele.

TELA E TOQUE

A tela tem exatamente o mesmo tamanho que a do Kyros, porém com cores mais vivas, me parece. Em contrapartida, é um pouco mais reflexiva e tem angulo de visão um pouco limitado. É uma tela que não gosta de ser olhada de soslaio. A do Kyros é sem dúvida melhor.

O ponto negativo fica para o limite de dois toques pois ela é dualtouch, segundo o app Multitouch Visible Test. Aliás, vale dizer que não li o suficiente pra ter certeza sobre o dualtouch ser limitação do firmware ou do hardware.

Mesmo sendo mais pesado, por ser maior e ter bordas suficientemente largas para apoiar todo o polegar, o myPad é mais confortável de se segurar do que o Kyros. De fato, assim é porque, como muitos outros tablets, ele tem o excelente design copiado do iPad. Pondo de lado a proporção da tela, ele homenageia muito o tablet da Apple.

IMG087 IMG088 IMG091 IMG105

Essa homenagem deu sumiço nos botões comumente encontrados em Androids. Nas bordas da tela não há nada, todos os botões ficam nas laterais. Nele não existe a possibilidade de toques acidentais como no Kyros.

Para compensar a falta desses botões, o Android do tablet teve a barra de notificações incrementada com atalhos home, menu e back.

IMG100 IMG106

O myPad passa a impressão de ser resistente. A frente é única, com margens e traseira black piano, excelente para coletar impressões digitais e ficar emporcalhada por dedos gordurosos. Depois de algum tempo, a coisa realmente começa a ficar nojenta.

Na lateral direita está uma portinhola que esconde a saída HDMI, a entrada USB e o slot com o cartão micro SD, que pode ser de 16GB ou 32GB de acordo com o modelo.

Na parte de baixo há um slot para uso com um dock e na traseira em cima outra portinhola que esconde o slot de cartão SIM, mas só funciona no modelo com 3G. Parece que é possível a instalação opcional do módulo 3G

IMG084 IMG085

Ao contrário da Coby, que está aprendendo ainda o que é suporte ao consumidor, todos os docs, arquivos, drives e firmware do myPad estão disponíveis no site de suporte da Semp Toshiba.

Tanto a traseira como a frente seriam lindas e discretas não fosse a presença do monstruosamente horroroso logotipo STI (Semp Toshiba Informática).  O ponto negativo fica também pra borda texturizada na cor prata. Cumpre a função de melhorar o atrito da pegada mas passa a impressão de ser feita de plástico vagabundo.

CAMERA E SOM

Com 1.3 Megapixels, a camera do myPad cumpre a função. O par de falantes traseiros fica na parte de baixo e tem um dedinho a mais de volume e graves que o do Kyros, mas é pouca pouca coisa.

SISTEMA E DESEMPENHO

Tive impressão de maior fluidez em alguns joguinhos, mas isso deve ser moleza de se conseguir rodando Android 2.2 num processador dual core.

Pesquisando um pouco, li que é possível rodar nesse tablet uma versão custom do Gingerbread e do Honeycomb sem muito drama. E não há como evitar querer experimentar isso. Alegre Por ser um genérico popular na gringolândia e europa, ao contrário do Kyros, já possui uma comunidade desenvolvida e muita informação disponível sobre ele.

Estando original, lamentável é a falta do Google Market. O problema é que o usuário comum terá dificuldades em usufruir do potencial máximo do tablet se depender apenas da vergonhosa app store da Semp Toshiba e de um possível mas remoto update.

No Brasil temos um problema sério de suporte. É triste ver o mesmo produto recebendo melhorias em outros lugares enquanto nossas queridas marcas se preocupam apenas em vender.

BATERIA

As especificações prometem durabilidade muito boa. No meu teste casual, tirei o tab do carregador as 9:00h, comecei a usar as 10:00h. Wi-Fi ligado o tempo todo, brilho em 25%. Navegação moderada, edição de texto, instalar abrir e fechar aplicativos, alguns minutos jogando, nada de vídeos ou música. Assim foi até exatamente 17:55h, quando a bateria caiu pra 29%. Média de umas 7 horas de uso leve/moderado.

CONCLUINDO

É um bom tablet, limitado pela versão antiga do Android e um pouco pesado demais mas com um recheio que realmente compensa, principalmente se você instalar outro firmware melhor. Grande defeito é ser caro, quase o mesmo preço do iPad mais simples, porém a tendência é queda a curto prazo. Pesquisando bem é possível encontrá-lo por um preço quase justo.

Leia mais sobre ele: http://ztop.com.br/2011/05/09/com-mypad-semp-toshiba-entra-no-jogo-dos-tablets/

http://www.blogdopaz.com.br/novidades/semp-toshiba-pisa-na-bola-com-seu-tablet-mypad

http://www.androidtablets.net/forum/advent-tablets/9826-p10an01-tablet-alternate-names.html